Declaração de Fé

Nós não nos desculpamos pelo tamanho desta Declaração de Fé. Isto se faz necessário devido ao fato de que, quanto mais ataques contra a fé, mais precisos precisamos ser. A declaração a seguir é boa! Soa bíblica, bastante ortodoxa e ainda justa o bastante para permitir diferenças de opinião em questões debatíveis, mas que ainda retenham ortodoxia.

Introdução  CARM é um ministério cristão conservador baseado nos ensinamentos da Bíblia (66 livros, excluindo os apócrifos).
Bíblia  A Bíblia é a Palavra de Deus, e seus manuscritos estão livres de erros e contradições. É a única regra infalível, autoritativa e confiável para a fé e a vida (2 Pedro 1:21, 2 Timóteo 3:16). Os apócrifos Católicos Romanos não são escrituras inspiradas e não fazem parte do cânone de escrituras. A Bíblia é para ser tomada quão literal quanto possível, exceto onde é obviamente figurativa. O Gênesis, por exemplo, é literal, e Adão e Eva foram pessoas reais.
Deus Deus é o único Ser Supremo sem deuses criados antes ou depois Dele em toda a existência, em todos os lugares e em todas as épocas (Isaías 43:10, 44:6 e 44:8, 1 Timóteo 1:17). Ele sempre foi Deus e nunca nada além disso (Salmo 90:2). Ele é Santo (Apocalipse 4:8), Eterno (Isaías 57:15), Onipotente (Jeremias 32:17, 27), Onipresente (Salmo 137:12), Onisciente (1 João 3:20), etc. Ele é Amor (1 João 4:8, 16), Luz (1 João 1:5), Espírito (João 4:24), Verdade (Salmo 117:2), Criador (Isaías 40:12, 22, 26), etc. Ele é para ser adorado (Gênesis 24:26, Êxodo 4:31; 2 Crônicas 29:28, 1 Coríntios 14:25, Apocalipse 7:11). Ele é para ser servido (Mateus 4:10, 1 Coríntios 6:19, Filipenses 3:7, 1 Tessalonicenses 1:9, Hebreus 9:14). Ele é para ser proclamado (Mateus 28:19-20, João 14:15-31, Atos 1:8).
Trindade Há um Deus no qual existem três personagens eternos, distintos e simultâneos – o Pai, o Filho (Jesus Cristo) e o Espírito Santo. Todos os três são um Deus, coeternos, coiguais, etc., ainda que exista somente um Deus, não três deuses, e não uma pessoa que tomou os três modos, ofícios ou formas (Isaías 44:6, 8, 45:5, Gênesis 1:26-27, 3:22, Mateus 3:17, 28:19, Lucas 10:35, 2 Coríntios 13:14). Veja também A Trindade.
Jesus Jesus Cristo é o Verbo (Deus) que se tornou homem. Ele adicionou a natureza humana à Sua natureza divina. Ele é tanto humano quanto divino e, portanto, tem duas naturezas. Ainda assim, Ele é uma pessoa, não duas. Ele não é parte Deus e parte homem. Ele é atualmente um homem, uma pessoa, com duas naturezas nas quais uma natureza é inteiramente Deus e a outra é inteiramente homem (Filipenses 2:5-11, Colossenses 2:9, 1 Timóteo 3:16, Hebreus 1:5-13, João 1:1-3, 14). Jesus permanecerá eternamente como homem e intercederá por nós eternamente como um sumo sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque (Hebreus 6:20, 7:25).
Nascimento Virginal Jesus Cristo foi miraculosamente concebido e nasceu da virgem Maria (Lucas 1:42). Maria deixou de ser virgem após o nascimento de Jesus (Mateus 1:25).
Ressurreição Jesus Cristo levantou dos mortos no mesmo corpo em que Ele morreu após ter estado no sepulcro por três dias. Ele se levantou em um corpo glorificado e físico (ainda retendo suas feridas da crucificação). Ele ascendeu de corpo ao céu, está sentado à direita do Pai e reina sobre o céu e a terra (João 2:19, 1 Coríntios 15, Lucas 24:39). Da mesma forma, nós cristãos seremos levantados de corpo dos mortos e passaremos a eternidade com o Senhor.
Expiação Substitutiva Deus o Pai nos amou tanto que enviou Seu único Filho unigênito Jesus Cristo. Jesus, o Verbo, tornou-se homem, tomou sobre si nossos pecados sobre Seu corpo na cruz (1 Pedro 2:24) e morreu em nosso lugar, sofrendo as consequências da quebra da Lei (1 João 3:4), que são a morte física (Romanos 6:23) e a morte espiritual (Isaías 59:2), por nossa causa (Isaías 53:4-6). Ele se tornou pecado em nosso lugar (2 Coríntios 5:21). Seu sacrifício foi uma substituição legal por nós (1 João 2:2, João 19:30, 1 Pedro 2:24). Foi legal visto que o pecado é a quebra da Lei de Deus (1 João 3:4) e substitutiva visto que Cristo tomou nossa punição (Isaías 53:4-6) e experimentou a morte por todos (Hebreus 2:9). Como resultado, a justiça de Deus foi satisfeita e os crentes cristãos estão livres da punição eterna (1 Pedro 3:18, Mateus 1:21, 25:46, Romanos 5, 1 João 2:2).
Batismo  O batismo é um ato importante de obediência de um cristão e significa a identificação de uma pessoa com Cristo. Não é necessário para a salvação. É uma manifestação exterior de uma realidade interior de confiança no sacrifício de Cristo, da conversão e da identificação com Cristo. O ato do batismo com água não salva ninguém. Nós nos tornamos justos perante Deus pela fé, não pela fé e batismo (Romanos 3:28-30, 4:3, 5, 5:1, Gálatas 2:16, 21, Filipenses 3:9; veja também Atos 10:44-48).
A Condição do Homem O homem é decaído, corrupto e mau. O homem crê em Deus pela graça de Deus através da fé (João 6:28-29, 15:5, Filipenses 1:29), é incapaz de se aproximar de Deus através de seus próprios esforços (João 6:44, Romanos 3:10-12), não pode entender as coisas espirituais de Deus por si mesmo (1 Coríntios 2:14, Romanos 8:7), não pode obter salvação por sua tentativa com boas obras (Efésios 2:8-9, Romanos 4:1-6), nem uma vez salvo mantém sua salvação pelas suas obras (Gálatas 3:1-3). A punição eterna no inferno e a separação da presença bendita de Deus são as consequências da pecaminosidade não regenerada de uma pessoa que não confiou no sacrifício redentor de Cristo na cruz (Efésios 2:1-3, Romanos 6:23).
Eleição Divina  "Mas devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados do SENHOR, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito, e fé da verdade" (2 Tessalonicenses 2:13). "Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade" (Efésios 1:4-5).
Salvação Salvação é ser salvo do julgamento justo de Deus sobre o pecado. A salvação é obtida somente pela graça, através somente da fé, na obra de Cristo somente (João 3:16) e não pelas nossas próprias obras (Romanos 3:20, Efésios 2:8-9). Nós somos escolhidos para a salvação por Deus (2 Tessalonicenses 2:13).
Justificação pela Graça através da Fé Somente Justificação é ser declarado legalmente justo por Deus. Esta justificação é recebida somente pela fé (Romanos 4:1-6), na obra de Cristo cumprindo a Lei no Seu ministério terreno (1 Pedro 2:22) e na Sua remoção do pecado pelo Seu sacrifício. A justificação é um presente de Deus (Romanos 3:24) e é recebida fora das obras da Lei (Romanos 3:28, Gálatas 2:21).
Regeneração Pela crença um pecador é regenerado, isto é, ele é transformado em uma nova criatura (2 Coríntios 5:17) e é então capaz de resistir ao seu pecado procurar crescer em santidade perante o Senhor. Estes assim regenerados não procuram habitar com o pecado, embora eles falhem nisso, mas lutam contra e se arrependem de pecar perante o Senhor.
Segurança Eterna "As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem; E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão" (João 10:27-28). Cristo fez tudo o que era necessário para nossa salvação e Ele disse que aqueles que tiverem a vida eterna jamais perecerão. Aqueles que aparentam ser cristãos e caíram nunca foram cristãos desde o princípio (1 João 2:19). A segurança eterna não significa que nós temos uma licença para pecar (Romanos 5:21 – 6:2) e aqueles que assim afirmam não entendem a habilidade de Deus para regenerar o pecador e tornar seu coração ao arrependimento. Devido à diversidade de opinião nesta questão, o CARM não condena ou aprova o julgamento daqueles que creem ser possível perder a sua salvação. Entretanto, o CARM se opõe à posição de que a segurança de uma pessoa perante Deus é mantida através das suas boas obras, visto que isto seria justificação pelas obras.
Santificação A santificação é o processo pelo qual o Espírito Santos nos faz mais como Cristo em tudo o que fazemos, pensamos e desejamos, e aumenta nossa habilidade de nos arrependermos do pecado – pela graça de Deus (1 Tessalonicenses 4:7, Efésios 2:10, 1 Timóteo 4:4, 1 Pedro 3:15, 2 Timóteo 2:25). Este processo continua por toda a vida de um cristão e é o resultado da salvação, não a sua causa nem um fator que contribui para ela. Além disso, o esforço pela santificação não mantém a salvação do crente.
Igreja Cristã Deus chama os cristãos para Sua igreja onde a Palavra de Deus é pregada, onde o batismo e a Ceia do Senhor (comunhão) são administrados, onde os crentes são discipulados e disciplinados e onde eles servem para edificarem uns aos outros (Mateus 16:18). Não há um corpo eclesiástico terreno que é a “igreja verdadeira”. Em vez disso, a Igreja Verdadeira consiste de todos os crentes verdadeiros onde quer que eles possam estar.
Ofícios da Igreja

Deus chama cristãos qualificados para serem ordenados e para servirem a Jesus Cristo em capacidades especiais de liderança, isto é, Presbíteros, Diáconos, Ministros da Palavra e Evangelistas. Os ofícios de pastor e ancião são limitados a homens qualificados que são chamados por Deus, reconhecidos pelo corpo e que atendem ao padrão bíblico do prebistério. As mulheres não são para pastoras nem presbíteras e não possuem posições de autoridade na Igreja Cristã, na qual a autoridade é exercida por homens (1 Timóteo 2:11-15, 3:11-3, Tito 1).

Arrebatamento O evento no qual, no retorno de Jesus, aqueles que morreram em Cristo e aqueles cristãos que estejam vivos serão fisicamente elevados às nuvens e encontrarão o Senhor Jesus nos ares. Nós estaremos então para sempre com o Senhor (1 Tessalonicenses 4:16 – 5:2). Devido às diversas opiniões dentre os cristãos a respeito do arrebatamento, o CARM considera os arrebatamentos pré-tribulação, durante a tribulação e pós-tribulação dentro do escopo da ortodoxia cristã.
Segunda Vinda Jesus Cristo retornará fisica e visivelmente do céu com grande glória e majestade.
Milênio Devido às diversas opiniões dentre os cristãos a respeito do milênio, o CARM considera o amilenismo, o pré-milenismo e o pós-milenismo dentro do escopo da ortodoxia cristã. O CARM rejeita o preterismo completo, a doutrina de que Jesus retornou no ano 70 D.C., mas afirma que o preterismo parcial está dentro da ortodoxia.
Domínio Espiritual Há um domínio espiritual de anjos e demônios. Anjos servem a Deus e cumprem a Sua vontade. Demônios são anjos caídos (2 Pedro 2:4, Judas 6) que guerrearam contra Deus e que ao final enfrentarão a punição eterna (Mateus 25:41, 2 Pedro 2:4). Cristãos não podem sofrer possessões demoníacas.
Julgamento Eterno Todos os que não forem justificados pela fé em Cristo e pelo sangue de Cristo enfrentarão o julgamento eterno, consciente e agonizante fora da presença de Deus (Mateus 8:12, Lucas 16:19-31, Apocalipse 20:14-15, 21:8).
Evangelismo Parte das crenças e propósito do CARM é realizar o trabalho de evangelismo, que significa que devemos ensinar o evangelho de Jesus Cristo a todas as pessoas, em toda nação (Mateus 28:19-20). Também, devemos refutar falsas doutrinas, falsas religiões e qualquer coisa que possa contradizer a palavra de Deus, mas devemos fazê-lo sem insulto (1 Pedro 3:15) se houver a chance de Deus garantir a eles o arrependimento (2 Timóteo 2:25).
Obra do Reino Parte de ser um cristão significa participar na expansão do Reino de Deus. Todo  Cristão deve trabalhar para este fim de acordo com os dons dados a ele ou ela pelo Senhor (Mateus 28:18-20, Romanos 12). Nem todos são pastores, evangelistas ou professores (Romanos 12), mas de cada cristão é esperado que faça sua parte para promover o evangelho, se por oração e/ou dízimo, e/ou ensino, e/ou cuidar e treinar crianças, e/ou evangelismo, etc.
Moralidade Homossexualidade, lesbianismo, bissexualidade, pedofilia, bestialidade, necrofilia, cross dressing, trans-gênero, mentira, prestar falso testemunho, adultério, troca de esposas, pornografia, fornicação e cobiça são todas práticas pecaminosas, contra as revelações nas escrituras, são contrárias à vida apropriada e não são aceitáveis ao ministério do CARM como comportamentos normais ou aprovados. Ainda assim, nós não odiamos aqueles que praticam tais coisas, mas oramos pela sua libertação.
Casamento Casamento é entre um homem e uma mulher.
Heresia Qualquer doutrina que desvia da posição histórica, ortodoxa e bíblica da Igreja Cristã, através da história da Igreja, como julgada por uma perspectiva protestante. Há heresias que são abomináveis (negação da deidade de Cristo, negação da ressurreição física de Cristo, negação da justificação pela graça através da fé, etc.). Há heresias que não são abomináveis (defesa de mulheres pastoras, prática da poligamia, divórcio pela conveniência, etc.). Há também ensinamentos dentro do Cristianismo que são debatíveis onde as diferenças de opinião não são heresias (comer ou não comer carne, adoração no sábado ou domingo, etc.). Veja Romanos 14:1-12.
Vida Onde possível, os cristãos devem viver em paz com todos os homens, sofrendo acusações erradas e falsas e más representações com caridade. Entretanto, os cristãos são livres para se defender (Lucas 22:36) e promover a verdade do Cristianismo, corrigindo falsos ensinamentos e refutando erro (2 Timóteo 2:25, 1 Pedro 3:15). Eles são livres para usar o sistema político e suas leis a fim de promover uma sociedade mais religiosa e moral. Os cristãos são livres para viver no mundo como exemplo de religiosidade e não para participar de paixões pecaminosas do mundo.
Criação e Evolução Deus criou o Universo e tudo que há nele pelo Seu esforço criativo. Deus trouxe o Universo à existência pela aplicação da Sua vontade. Dentro do Cristianismo há espaço para a interpretação dos seis dias da criação (Gênesis 1:1-31) como sendo períodos literais de 24 horas, mas também períodos mais longos. Não obstante, Adão e Eva foram pessoas reais, criadas por Deus bem como o Gênesis diz. O CARM não afirma a macroevolução (a formação de vida na Terra a partir de uma única célula que evoluiu via seleção natural através de milhões de anos para todas as espécies da Terra) ou a evolução teística (que Deus guiou a macroevolução para trazer a humanidade à existência). O CARM nega a ambos. Entretanto, a microevolução (a modificação de espécies existentes com informação genética existente que permite às espécies se adaptarem ao meio ambiente) está dentro dos domínios da ortodoxia cristã. Nós não evoluímos de outras espécies para a nossa condição atual. Deus não guiou a evolução das espécies pela qual a humanidade, o reino animal ou o reino vegetal se desenvolveram. A teoria geral da evolução não é bíblica e contrafatual.

 

God created mankind by his direct act. 

 

 

 

 
 
CARM ison