Se Deus é imutável, como Jesus pode ser Deus em carne?

Por  Matt Slick – Tradução David Brito

 

A imutabilidade é o ensino que Deus não muda em Sua natureza. Seu caráter, conhecimento e existência são sem variação. Deus sempre tem sido em todos os lugares o tempo todo. Ele sempre foi sagrado, divino, onisciente, onipresente, onipotente e puro. Estas coisas não podem mudar em Deus, uma vez que são aspectos da Sua natureza. Mas, como podemos reconciliar a encarnação do Verbo (que era Deus) e a doutrina da imutabilidade de Deus? A resposta está na compreensão das doutrinas da Trindade, da encarnação, e a relação das duas naturezas de Cristo.

A doutrina da Trindade afirma que o Deus único existe em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo. O Filho (Jesus) é a palavra que se fez carne.  ”No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus . . 14 E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade . . . " (John 1:1, 14).  A Bíblia nos ensina que Jesus tem duas naturezas: Deus e homem. Isto é conhecida como a doutrina da união hipostática. Jesus ainda é Deus e homem, divino e humano, ao mesmo tempo. Jesus como uma pessoa, existe com duas naturezas, a natureza divina "se juntou" com a natureza humana na pessoa de Cristo. A natureza divina de forma alguma mudou com esta "união." Agora, por favor, note que a natureza divina não combinou com a natureza humana e formou uma nova natureza tipo homem-Deus.  Isso é conhecido como monofisismo e está incorreto. As duas naturezas estão "em comunicação" uma com a outra, e os atributos de cada natureza, é atribuída uma pessoa. Isso é chamado de idiomatum communicatio. Esta frase em latim significa "comunicação das propriedades. "Em outras palavras, a única pessoa de Cristo", reivindicam os atributos de cada natureza. Aqui está a prova:  João 17:5 diz, "E agora glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse."  Observe que o homem Jesus está reivindicando a pré-existência e glória que Ele tinha com o Pai antes da fundação do mundo. Isto é porque a pessoa de Jesus, tem duas naturezas, divina e humana; e os atributos da natureza divina foram atribuídas à pessoa única de Cristo.

O Verbo não mudou.

A Palavra não mudou por acrescentar a humanidade à sua natureza. Ele simplesmente se juntou com a natureza humana na pessoa de Cristo, de modo que as duas naturezas distintas existem simultaneamente em Jesus. É por isso que Paulo diz: "Nele toda a plenitude da divindade habita em forma corpórea." (Colossenses 2: 9). Além disso, para que a imutabilidade de Deus estivesse em questão, O Verbo teria de mudar pela fusão com a natureza humana em uma nova terceira coisa.  Isto significaria que deixaria de ser "O Verbo". Seria "o Verbo homem" com uma natureza que não é nem divina nem humana, mas uma nova terceira coisa. Além disso, a doutrina da encarnação nega qualquer mudança na divindade do verbo. Ele simplesmente afirma que o Verbo se fez carne (não significando que ele mudou sua natureza). A Palavra reside na pessoa de Cristo, juntamente com a natureza humana, de modo que Jesus tem duas naturezas distintas.

Portanto, podemos concluir que a divindade participa na humanidade através da encarnação de Cristo, mas a Divindade não é alterada em qualquer maneira.

 

 
 

About The Author

Matt Slick is the President and Founder of the Christian Apologetics and Research Ministry.