Teria Pedro a supremacia entre os Apóstolos?

Por- Matt Slick- Tradução David Brito

A Igreja Católica Romana considera Pedro como supremo entre os apóstolos de Cristo. Esta posição é conhecida como a primazia de Simão Pedro. Ela diz que Pedro é o Vigário de Cristo sobre os quais está alicerçada a Igreja (Mt. 16:18).

  1. Na bula papal, Unam Sanctam, 18 de novembro 1302, ele diz que "Consequentemente, nós declaramos, definimos e pronunciamos que é absolutamente necessária para a salvação de toda criatura humana que fique sujeita ao Pontífice Romano".1
  2. O I Concílio do Vaticano, capítulo 1, "Nós ensinamos e declaramos que, de acordo com as provas do evangelho, um primado de jurisdição sobre toda a Igreja de Deus foi imediata e diretamente prometida ao bem-aventurado apóstolo Pedro conferido por Cristo Senhor."
  3. 3. O I Concílio do Vaticano, capítulo 3 estabelece que "e assim, apoiado pelo testemunho claro das Sagradas Escrituras, e aderindo à vontade manifesta e explícita, tanto dos nossos predecessores, do Pontífice romano e de conselhos gerais, nós promulgamos novamente a definição do Conselho ecumênico de Florença, que deve ser considerado por todos os fiéis cristãos, a saber, que a Sé Apostólica e o Pontífice Romano o qual mantém uma primazia em todo o mundo, que o Pontífice Romano é o sucessor do bem-aventurado Pedro, príncipe dos apóstolos, verdadeiro Vigário de Cristo, cabeça de toda a igreja e pai e mestre de todos os cristãos. para ele, em S. Pedro, o poder total foi dado por nosso Senhor Jesus Cristo para cuidar, reger e governar a Igreja universal. Tudo isso é para ser encontrado nos atos dos concílios ecumênicos e os sagrados cânones”. 

É a afirmação da Igreja Católica sobre Pedro verdade? Se for, então devemos ver tal supremacia da pessoa de Pedro devidamente revelado no Novo Testamento, o lugar onde a verdade espiritual deve ser verificada. Infelizmente, não encontramos tal supremacia de Pedro nas Escrituras. Vamos examinar o que o Novo Testamento diz em referência a Pedro.

Mt. 16:18-19, "18 Da mesma maneira Eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do Hades não prevalecerão contra ela. 19 Eu darei a ti as chaves do Reino dos céus; o que ligares na terra haverá sido ligado nos céus, e o que desligares na terra, haverá sido desligado nos céus”.

A Igreja Católica Romana afirma que este é o lugar onde Pedro é conferido com autoridade por Jesus desde que Pedro é a rocha sobre a qual a Igreja está construída. Mas, isto não é verdade. CARM já lidou com esta questão no artigo-- É Pedro a pedra a qual a Igreja está edificada?-- onde vemos que Pedro não é a pedra. Ao contrário, Cristo é a rocha sobre a qual a igreja é edificada. Além disso, se Mt. 16:18 significa que as chaves da autoridade foram dadas a Pedro e seus sucessores, por que é que Jesus dá a mesma autoridade para todos os discípulos em Mateus 18:18? Jesus diz: "Em verdade vos digo que (os discípulos), o que quer que ligares na terra será ligado no céu, e tudo o que desligares na terra será desligado no céu." O que, aparentemente, tinha sido concedida a Pedro somente é agora estendido a todos os apóstolos. Portanto, se Pedro é para ser o sucessor supremo de Cristo, que tem as chaves do reino de ser capaz de ligar e desligar, então porque é que este mesmo direito foi concedido também aos outros discípulos? Se Pedro é supremo entre os apóstolos, não podemos inferir que é a partir destes versos.

Gl. 2:7, "Ao contrário, reconheceram que a mim havia sido confiada a proclamação do Evangelho aos incircuncisos, assim como a Pedro aos circuncisos." 

Podemos ver que Pedro é o apóstolo dos judeus e Paulo é o apóstolo dos gentios. Se Pedro é o papa de toda a Igreja, por que é que Deus o nomeou apóstolo aos judeus e não aos gentios a qual toda a igreja cristã está incluída? Lembre-se, os judeus não são gentios, e gentios não são judeus. A igreja cristã é composta de gentios. Claro, há muitos judeus que se tornaram cristãos, mas ao fazê-lo eles não se tornam gentios. Então, se era para Pedro ter tido a supremacia entre os discípulos e ser o chefe da igreja cristã (que é composta de gentios), por que Deus o nomeou para ir aos judeus? Se Pedro fosse o Sumo Pontífice e o apóstolo primário esta ordem não faria o menor sentido.

Gl. 2:11-12, “Quando, porém, Pedro chegou a Antioquia, eu o enfrentei face a face, por causa da sua atitude reprovável. 12 Porque antes de chegarem alguns da parte de Tiago, ele fazia suas refeições na companhia dos gentios; todavia, quando eles chegaram, Pedro foi se afastando até se apartar dos incircuncisos, apenas por temor aos que defendiam a circuncisão.”

Se Pedro é o primeiro papa que já tinha sido dada a autoridade de Cristo em Mateus 16:18, então por que o apóstolo Paulo teve que repreendê-lo? A resposta comum aqui pelos católicos romanos é que o papado fala com autoridade e sem erro, mas os homens que possuem o oficio podem cometer muitos erros. Mas o problema aqui é que não há nenhuma maneira de distinguir a verdade da alegação da Igreja Católica Romana de que o papado é descendente de um oficio concedido a Pedro somente. Como voce pode perceber, sempre que um papa faz um erro ou fala algo que não é verdade, o homem é culpado e é dito que não tinha falado com autoridade. Mas sempre que algo é "verdade", então é por inerência do seu cargo. Então, basicamente não há nenhuma maneira possível de contestar a alegação de que a Igreja Católica Romana afirma com relação ao exercício do papado. Na verdade a Igreja Católica se blindou para não ser colocada a prova. A Igreja Católica Romana então, simplesmente declara sem prova alguma que Pedro é o primeiro papa e, em seguida, se isenta das heresias e erros daqueles que ocupam o cargo papal. Desta forma, ela tenta permanecer inquestionável.

1 Pedro. 5:1-2 “Suplico, portanto, aos presbíteros que há entre vós, eu que sou também presbítero como eles, testemunha ocular dos sofrimentos de Cristo e, certamente, coparticipante da glória que há de ser plenamente revelada: pastoreai o rebanho de Deus que está sob vosso cuidado, não por constrangimento, mas voluntariamente, como Deus quer; nem por sórdida ganância, mas de boa vontade”;

Se Pedro foi supremo entre os apóstolos, por que ele afirmou ser apenas um presbítero em vez de afirmar sua supremacia? Será que Pedro não entendeu a posição que a ele foi dada por Cristo? A Igreja Católica Romana, certamente, afirmou o primado do ofício papal como já referido. Aparentemente, o papa católico romano não tem nenhum problema em se auto proclamar representante de Pedro .No entanto, Pedro não afirma sua própria supremacia. Na verdade, ele faz o contrário, dizendo que ele é um presbítero assim como seus companheiros uma testemunha dos sofrimentos de Cristo.

Perguntas

  1. Onde está a evidência de que Pedro governou os outros apóstolos?
  2. Se Pedro tinha a supremacia entre os apóstolos, por que ele nunca se referiu a si mesmo como tal?
  3. Se Pedro é supremo entre os apóstolos, por que nenhuns dos outros apóstolos se referem a ele de tal forma?
  4. Se Pedro é supremo entre os apóstolos, por que ele é listado como segundo na lista dos pilares da igreja em Gl. 2:9?
  5. Se Pedro é supremo entre os apóstolos, por que ele é repreendido por Paulo em Gl. 2:11 pelo erro de Pedro na doutrina?
  6. Se Pedro é supremo entre os apóstolos, por que Jesus não apareceu primeiro para Pedro após a ressurreição? Esse privilégio foi para Maria Madalena (Marcos 16:9-11).
  7. Se Pedro é supremo entre os apóstolos, por que ele escreveu apenas dois livros no NT, enquanto Paulo, o apóstolo dos gentios escreveu 13? (Gl 2:7)
 
 

About The Author

Matt Slick is the President and Founder of the Christian Apologetics and Research Ministry.