Infalibilidade, falibilidade e a Igreja Católica Romana

Por Matt Slick – Tradução David Brito

A Igreja Católica Romana afirma ser a única verdadeira igreja na terra e que só ela mantém a autoridade para interpretar infalivelmente a Palavra de Deus. Na verdade, ela diz que ninguém está autorizado a interpretar a Escritura contrariamente ao que a Igreja Católica Romana diz.

 

“....decreta que ninguém, fundado na perspicácia própria, em coisas de fé e costumes necessárias à estrutura da doutrina cristã, torcendo a seu talante a Sagrada Escritura, ouse interpretar a mesma Sagrada Escritura contra aquele sentido, que [sempre] manteve e mantém a Santa Madre Igreja, a quem compete julgar sobre o verdadeiro sentido e interpretação das Sagradas Escrituras, ou também [ouse interpretá-la] contra o unânime consenso dos Padres, ainda que as interpretações em tempo algum venham a ser publicadas”

 

(Concílio ecumênico de Trento seção 4  A edição da Vulgata da Bíblia e o modo de interpretação)

 

A pergunta que devemos fazer é quantos versículos da Bíblia que a Igreja Católica Romana infalivelmente interpretou? Esta é uma questão importante, porque logicamente falando, isso significa que o que os versículos a Igreja Católica Romana não interpretou infalivelmente, foram falivelmente interpretados!

Logicamente, existem apenas duas opções: infalibilidade e falibilidade. Não pode haver uma terceira opção. Nós temos que ter um ou o outro quando se trata de interpretação da Palavra de Deus. Se a Igreja Católica Romana afirma ser o intérprete infalível, então não deveria infalivelmente interpretar as Escrituras e declarar ao mundo exatamente o que os versículos significam?

Eu fui incapaz de encontrar uma lista dos versos que a Igreja Católica Romana tem infalivelmente interpretados. Meus repetitivos questionamentos sobre esta questão resultaram em vários depoimentos de católicos romanos o qual dizem que o número de versos infalivelmente interpretados pela Igreja Católica Romana é inferior a 10. . . Menos de 10 em 2.000 anos!

O Antigo Testamento tem 23,214 versos, e o Novo Testamento tem 7.959 versos. Isso dá um total de 31.173 versos. Assim, se a ICAR tem interpretado, vamos ser generosos e dizer 10 versos infalivelmente, isso significaria dizer que ela interpretou 31,163 versos falivelmente. Isso dá 0,003% de Infabilidade e 99,097% de falibilidade. São péssimas as chances de Infabilidade para uma igreja que diz ter a autoridade absoluta de Deus, verdadeira sucessão apostólica, tradição, Papa, e 2000 anos de existência para interpretar a palavra de Deus. Assim, na melhor das hipóteses, a Igreja Católica Romana pode infalivelmente interpretar um versículo da Bíblia a cada 200 anos. Neste ritmo levaria 6,232,600 anos para interpretar infalivelmente toda a Bíblia.

Eu não posso deixar de imaginar que novas revelações e interpretações infalíveis irão surgir dentro da Igreja Católica Romana. Será que os próximos 6 milhões de anos produzirão a completa deificação de Maria? Maria vai se tornar a criadora do universo na tradição católica romana? Ou talvez o Papa possa ser elevado a um nível celestial aqui na terra. Ou quem sabe, a sagrada tradição católica romana talvez nos digam novas, e insondáveis verdades, como tornar-se deuses e outras "verdades não reveladas"  que não são sequer ligeiramente insinuadas na Bíblia, mas que, ainda mesmo agora, podem ser sussurradas ao longo dos corredores do tempo através da sucessão apostólica à espera de serem reveladas como novas verdades.

 

 

 
 

About The Author

Matt Slick is the President and Founder of the Christian Apologetics and Research Ministry.