Lista de falsos ensinos da Igreja Católica Romana

Por Matt Slick – Tradução e adaptação David Brito-

 

A reforma protestante ocorreu por uma razão. Basicamente, foi para combater os muitos ensinamentos falsos que a Igreja Católica Romana adotara ao longo dos séculos. Quando Martinho Lutero comparou o Catolicismo com as escrituras, o resultado foi as 95 teses afixadas na porta da Catedral de Wittenberg. Entretanto, ao invés de reformar a Igreja Católica Romana, o resultado foi o surgimento dos protestantes. Os protestantes tinham como objetivo retornar as escrituras.

Segue-se um parágrafo resumido com referências encontradas no Catecismo da Igreja Católica (CIC) de muitos dos falsos ensinamentos do catolicismo romano. Como sabemos que eles são falsos? Simplesmente comparado os ensinos do Catecismo com o que é ensinado pelas escrituras.

A Igreja Católica Romana é a única Igreja verdadeira (CIC 2105), Infabilidade da Igreja Católica Romana, (CIC 2035), Somente a Igreja Católica Romana tem autoridade para interpretar as escrituras (CIC 100), O Papa é o cabeça da Igreja e tem a autoridade de Cristo (CIC 2034), A Igreja Católica Romana é necessária para a salvação (CIC 846), A Tradição tem o mesmo valor e autoridade das escrituras (CIC 82), Perdão dos pecados, e salvação, é por meio da fé e das obras (CIC 2036 CIC 2080 2068), Os benefícios da salvação só podem ser alcançados pela Igreja Católica Romana (Vaticano 2, Decreto sobre o Ecumenismo, 3),  A Graça pode ser por mérito (CIC 2010 CIC 2027), Os méritos de Maria e dos Santos podem ser aplicados a outros (1477), Penitencias são necessárias para a salvação (CIC 980), Purgatório(CIC 1031 CIC 1475), Indulgencias (CIC 1471 CIC 1478 CIC 1498 CIC 1472), Maria é mediadora (CIC 969), Maria nos dá os dons da salvação eterna (CIC 969), Maria livra nossas almas da morte (CIC 966), Orações as Santos (CIC 2677), Na eucaristia os elementos se tornam o corpo e o sangue de Cristo(CIC 1374 CIC 1376).

A igreja Católica é a única Igreja verdadeira

1.       CIC 2105 "O dever de prestar a Deus um culto autêntico diz respeito ao homem individual e socialmente. Esta é "a doutrina católica tradicional sobre o dever moral dos homens e das sociedades em relação à verdadeira religião e à única Igreja de Cristo". Evangelizando sem cessar os homens, a Igreja trabalha para que estes possam "penetrar de espírito cristão as mentalidades e os costumes, as leis e as estruturas da comunidade em que vivem". O dever social dos cristãos é respeitar e despertar em cada homem o amor da verdade e do bem. Exige que levem a conhecer o culto da única religião verdadeira, que subsiste na Igreja católica e apostólica [a 93]. Os cristãos são chamados a ser a luz do mundo. Assim, a Igreja manifesta a realeza de Cristo sobre toda a criação e particularmente sobre as sociedades humanas."

2.      Infabilidade da Igreja Católica.

1.      CIC 2035, "O grau supremo da participação na autoridade de Cristo é assegurado pelo carisma da infalibilidade. Esta tem a mesma extensão que o depósito da revelação divina; estende-se ainda a todos os elementos de doutrina, incluindo a moral, sem os quais as verdades salutares da fé não podem ser preservadas, expostas ou observadas."

3.      Somente a Igreja Católica Romana tem autoridade para interpretar as escrituras

1.      CIC 100, "O encargo de interpretar autenticamente a Palavra de Deus foi confiado exclusivamente ao Magistério da Igreja, ao Papa e aos bispos em comunhão com ele.."

4.      O papa é tem a autoridade de Cristo

1.      CIC 2034, "O romano pontífice e os Bispos "são os doutores autênticos dotados da autoridade de Cristo, que pregam ao povo a eles confiado a fé que deve ser crida e praticada". O magistério ordinário e universal do Papa e dos Bispos em comunhão com ele ensina aos fiéis a verdade em que se deve crer; a caridade que se deve praticar, a felicidade que se deve esperar."

5.      A Igreja católica Romana é necessária para a Salvação

1.      CIC 846, "Como entender esta afirmação, com frequência repetida pelos Padres da Igreja? Formulada de maneira positiva, ela significa que toda salvação vem de Cristo-Cabeça por meio da Igreja, que é seu Corpo: Apoiado na Sagrada Escritura e na Tradição, [o Concílio] ensina que esta Igreja peregrina é necessária para a salvação. O único mediador e caminho da salvação é Cristo, que se nos torna presente em seu Corpo, que é a Igreja. Ele, porém, inculcando com palavras expressas a necessidade da fé e do batismo, ao mesmo tempo confirmou a necessidade da Igreja, na qual os homens entram pelo Batismo, como que por uma porta. Por isso não podem salvar-se aqueles que, sabendo que a Igreja católica foi fundada por Deus por meio de Jesus Cristo como instituição necessária, apesar disso não quiserem nela entrar ou nela perseverar. (Parágrafos relacionados 161,1257)."

6.      A sagrada tradição igual às escrituras

1.      CIC 82, “Dai resulta que a Igreja, à qual estão confiadas a transmissão e a interpretação da Revelação, não deriva a sua certeza a respeito de tudo o que foi revelado somente da Sagrada Escritura. Por isso, ambas devem ser aceitas e veneradas com igual sentimento de piedade e reverência."

7.      Perdão dos pecados, salvação, é pela fé e obras.

1.      CIC 2036, "A autoridade do magistério se estende também aos preceitos específicos da lei natural, porque sua observância, exigida pelo Criador, é necessária para a salvação. Recordando as prescrições da lei natural, o magistério da Igreja exerce parte essencial de sua função profética de anunciar aos homens o que (os homens) são de verdade e recordar-lhes o que devem ser diante de Deus."

2.      CIC 2080, "O Decálogo contém uma expressão privilegiada da lei natural. Conhecemo-lo pela revelação divina e pela razão humana."

3.      CIC 2068, “Como sucessores dos Apóstolos, os Bispos recebem do Senhor (...)a missão de ensinar a todos os povos e pregar o Evangelho a toda criatura, a fim de que os homens todos, pela fé, pelo Batismo e pela observância dos mandamentos, alcancem a salvação,"

8.      Os plenos benefícios da salvação só podem ser alcançados através da Igreja Católica  1. Pois é somente através da Igreja Católica de Cristo, que é "o meio abrangente de salvação", que eles podem beneficiar plenamente dos meios de salvação, "(Vaticano 2, Decreto sobre o Ecumenismo, 3)

9.      Graça por mérito

1.      CIC 2010, "Sob a moção do Espírito Santo e da caridade, podemos em seguida merecer para nós mesmos e para os outros as graças úteis à nossa santificação crescimento da graça e da caridade, e também para ganhar a vida eterna"

2.      CIC 2027, "Ninguém pode merecer a graça primeira que se acha na origem da conversão. Sob a moção do Espírito Santo, podemos merecer, para nós mesmos e para os outros, todas as graças Úteis para chegar à vida eterna, como também os bens temporais necessários."

10.  O Mérito de Maria e dos Santos podem ser aplicados aos católicos e a outros

1.      1477 ".as boas obras da Bem aventurada Virgem Maria e de todos os santos que, seguindo as pegadas de Cristo Senhor, por sua graça se santificaram e totalmente acabaram a obra que o Pai lhes confiara, de sorte que, operando a própria salvação, também contribuíram para a salvação de seus irmãos na unidade do corpo místico

11.  Penitencias são necessárias para a Salvação

1.      CIC 980, “O sacramento da Penitência é necessário para a salvação daqueles que caíram depois do Batismo, assim como o Batismo é necessário para os que ainda não foram regenerados."

12.  Purgatório

1.      CIC 1031, "A Igreja denomina Purgatório esta purificação final dos eleitos, que é completamente distinta do castigo dos condenados. A Igreja formulou a doutrina da fé relativa ao Purgatório sobre tudo no Concílio de Florença e de Trento. Fazendo referência a certos textos da Escritura, a tradição da Igreja fala de um fogo purificador”

2.      C|IC 1475, "Na comunhão dos santos, existe certamente entre os fiéis já admitidos na posse da pátria celeste, os que expiam as faltas no purgatório e os que ainda peregrinam na terra, um laço de caridade e um amplo intercâmbio de todos os bens. Neste admirável intercâmbio, cada um se beneficia da santidade dos outros, bem para além do prejuízo que o pecado de um possa ter causado aos outros. Assim, o recurso à comunhão dos santos permite ao pecador contrito se purificado, mais cedo e mais eficazmente, das penas do pecado”.

13.  Indulgencias

1.      CCC 1471, "A doutrina e a prática das indulgências na Igreja estão estreitamente ligadas aos efeitos do sacramento da Penitência. A indulgência é a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida pelos pecados já perdoados quanto à culpa, (remissão) que o fiel bem-disposto obtém, em condições determinadas, pela intervenção da Igreja que, como dispensadora da redenção, distribui e aplica por sua autoridade o tesouro das satisfações (isto é, dos méritos) de Cristo e dos santos. A indulgência é parcial ou plenária, conforme liberar parcial totalmente da pena devida pelos pecados. Todos os fiéis podem adquirir indulgências (...) para si mesmos ou aplicá-las aos defuntos

2.      CIC 1478, A indulgência se obtém de Deus mediante a Igreja, que, em virtude do poder de ligar e desligar que Cristo Jesus lhe concedeu, intervém em favor do cristão, abrindo-lhe o tesouro dos méritos de Cristo e dos santos para obter do Pai das misericórdias a remissão das penas temporais devidas a seus pecados. Assim, a Igreja não só vem em auxílio do cristão, mas também o incita a obras de piedade, de penitência e de caridade.

3.      CIC 1498, "Through indulgences the faithful can obtain the remission of temporal punishment resulting from sin for themselves and also for the souls in Purgatory."

14.  Maria (Existem muitas falsas doutrinas a respeito de Maria no catolicismo, segue apenas algumas.)

1.      Maria é mediadora, CIC 969, Assunta aos céus, não abandonou este múnus salvítico, mas, por sua múltipla intercessão, continua a alcançar-nos os dons da salvação eterna. (...) “Por isso, a bem aventurada Virgem Maria é invocada na Igreja sob os títulos de advogada, auxiliadora, protetora, medianeira." (Parágrafos relacionados 501,149,1370)

2.      Maria nos trás os dons da eternal salvação, CIC 969, "Assunta aos céus, não abandonou este múnus salvítico, mas, por sua múltipla intercessão, continua a alcançar-nos os dons da salvação eterna”.

3.      Maria salva da morte as nossas almas, CIC 966, "Você [Maria] concebeu o Deus vivo e, através de suas orações nos livrou da morte."

15.  Orações aos santos

1.      CIC 2677, "Mãe de misericórdia", à Toda Santa. Entregamo-nos a ela "agora", no hoje de nossas vidas. E nossa confiança aumenta para desde já entregar em suas mãos "a hora de nossa morte"."

16.  Os elementos da comunhão se tornam o próprio corpo e sangue de Cristo.

1.      CIC 1374, No santíssimo sacramento da Eucaristia estão “contidos verdadeiramente, realmente e substancialmente o Corpo e o Sangue juntamente com a alma e a divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo e, por conseguinte, o Cristo todo

2.      CIC 1376, "sempre se teve na Igreja esta convicção, que O santo Concílio declara novamente: pela consagração do pão e do vinho opera-se a mudança de toda a substância do pão na substância do Corpo de Cristo Nosso Senhor e de toda a substância do vinho na substância do seu Sangue; esta mudança, a Igreja católica denominou-a com acerto e exatidão transubstanciação”

 

 

 
 

About The Author

Matt Slick is the President and Founder of the Christian Apologetics and Research Ministry.