Métodos usados por Muçulmanos para atacar o Cristianismo

Por Matt Slick- Tradução David Brito

Antes de lidar com os muçulmanos, devemos ser prudentes e entender algumas das abordagens utilizadas por eles para desacreditar o cristianismo. Muito poderia ser escrito em cada um dos seguintes tópicos, com numerosos exemplos, mas em vez disso, irei simplesmente expor as áreas comuns entre as abordagens muçulmanas e apontar o que se deve estar atento.

No. 1: Ataque sobre a Validade da Bíblia

Isso é esperado. Se o muçulmano puder comprometer a força e a integridade da Palavra de Deus, então seria muito mais fácil para ele ganhar os argumentos e confundir os cristãos, e fazer convertidos daqueles que não conhecem a verdade e o poder da Bíblia. Isto é o que o diabo fez no Jardim do Éden. Satanás disse: "Você realmente não vai morrer!" (Gn 3: 4). Eu não estou chamando os muçulmanos de satânicos. Estou simplesmente apontando que esta é a forma como o engano começa, trazendo dúvidas sobre a Palavra de Deus, e isso é exatamente o que os muçulmanos fazem. Eles tentam levar as pessoas a duvidar da Bíblia e, em seguida, dizer-lhes quão grande é o Islã é. Vários métodos são usados para alcançar este objetivo:

1.      Declarar que a Bíblia tem várias contradições.

1. É claro, eu não posso discorrer por todas as alegadas contradições da Bíblia alegadas aqui, mas já pude observar que a maioria das "contradições bíblicas" levantadas pelos muçulmanos são nada mais do que exemplos de sua falta de compreensão da teologia bíblica e contexto. Sempre leia o contexto dos versos. Não deixe que um muçulmano simplesmente afirme que existem contradições e deixe por isso mesmo. Quando ele o fizer, peça-lhe para dar-lhe um exemplo de contradição bíblica. Se você não pode respondê-la, faça uma pesquisa e volte com a resposta. Claro, existem algumas áreas difíceis nas Escrituras, mas não há contradições na Palavra de Deus..1

2.Criticas a falta de manuscritos originais

1. O ponto aqui é que, porque não temos os manuscritos originais da Bíblia, não podemos realmente saber o que os originais dizem, portanto, a Bíblia poderia ter sido corrompida. Eles, então, comparam a Bíblia com o Alcorão e afirmam que o Alcorão é a palavra de Deus garantida, preservada, direta de Deus dada pelo anjo Gabriel a Maomé. Como era de se esperar, eles não vão mencionar que;

Os documentos Bíblicos são bem atestados como sendo confiáveis e precisos. Na verdade, temos cerca de 24.000 manuscritos antigos do Novo Testamento. Tanto que nenhuma grande área da doutrina cristã é afetada por possíveis variações entre os manuscritos. 2

1. Em relação ao Alcorão, Maomé não sabia ler nem escrever, então ele recitou o Alcorão para as pessoas que então escreveram as suras. Não há evidência de que o Alcorão foi escrito em sua totalidade na vida de Maomé e compilado como uma unidade. Então, como poderia sua autenticidade ser verificada?

 

2 . Logo após a morte de Maomé, o Uthman muçulmano ordenou que todos os conjuntos de manuscritos do Alcorão fossem destruídos, exceto o códex de Zaid. Por quê? Será que é porque a cópia de Zaid era melhor do que as outras? Se assim for, como é que podemos ter certeza? Será que as diferenças nas cópias surgiram tão rapidamente que as discrepâncias foram evidentes e Uthman reconheceu a necessidade de uma cópia padronizada para que Islã não sofresse divisões? Estes fatos levantam dúvidas sobre a suposta incorruptibilidade do Alcorão.

 

      3. Os muçulmanos afirmam que Alá disse que o Alcorão seria    preservado. No entanto, a mera alegação não é suficiente. Ele está usando o Alcorão para substanciar o Alcorão, que é um raciocínio circular.

4.  Alegar que a Bíblia é falsa por que contradiz o Alcorão (Qur'an)

1. Isto é simplesmente implorar a pergunta. Isso significa que uma pessoas assume a validade da coisa que ele está tentando provar. O muçulmano assume a validade do Alcorão, e porque contradiz a Bíblia, a Bíblia está errada. Bem, o cristão pode facilmente afirmar que o Alcorão está errado porque contradiz a Bíblia. Mas os muçulmanos não iriam aceitar isso. Portanto, por que deveríamos aceitar seu argumento?

No. 2: Tentam colocar Paulo contra Jesus

Os muçulmanos costumam fazer a alegação de que Paulo nunca se encontrou com Jesus e não foi um discípulo ou apóstolo de Jesus. Claro, isso não é verdade. Paulo encontrou Jesus na estrada para Damasco em Atos 9, após a ressurreição de Jesus. Jesus falou com ele e o comissionou. Assim, Paulo se encontrou com Jesus. Além disso, Paulo visitou Jerusalém e os apóstolos Pedro, Tiago e João confirmaram a missão e mensagem de Paulo (Veja Gl. 2: 9. Além disso, ver o contexto de Gálatas 1:18, 2:10). Pedro, que era discípulo de Jesus, pessoalmente autenticou os escritos de Paulo, chamando-os Escritura em 2 Pe 3:15,16. Se eles foram inspirados, então eles não podem contradizer as palavras de Jesus.

Além disso, muitos muçulmanos afirmam que Jesus nunca afirmou ser Deus e que Paulo é o único que escreveu que Jesus era Deus. Primeiro de tudo, se eles admitem que Paulo escreveu que Jesus era Deus, então devem relembrar-se de 2 Pe. 3:15-16 onde Pedro chama os escritos de Paulo de escritura e valida a mensagem de Paulo em Gl. 2: 9. No entanto, às vezes eles afirmam que Paulo assumiu o controle do Cristianismo, e fez Jesus ser algo que ele não era. Esta afirmação é falsa.

Talvez a principal área onde os muçulmanos acreditem que Paulo e Jesus se contradizem é na área com relação a quem seria Jesus. Paulo afirma que Jesus é Deus em carne: Colossenses 2: 9 diz: "Porque nele a plenitude da divindade habita em forma corpórea," (Rm. 9: 5). Os muçulmanos afirmam que em nenhum lugar nos Evangelhos fez alguma afirmação de Jesus ser Deus. Portanto, eles afirmam que as palavras de Paulo não são verdadeiras e a Bíblia não é confiável.

Este ataque dos mulçumanos é baseado apenas em opinião. Jesus afirmou ser Deus. Em  João 8:56-59, Jesus disse, " 55e vós não o conheceis; mas eu o conheço; e se disser que não o conheço, serei mentiroso como vós; mas eu o conheço, e guardo a sua palavra.    56Abraão, vosso pai, exultou por ver o meu dia; viu-o, e alegrou-se.    57Disseram-lhe, pois, os judeus: Ainda não tens cinquenta anos, e viste Abraão?    58Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.    59Então pegaram em pedras para lhe atirarem; mas Jesus ocultou-se, e saiu do templo."3 Por que os Fariseus pegaram em pedras para apedrejarem Jesus? Eles explicam suas razões em João 10:33  Quando dizem, Os judeus responderam-lhe assim: “Por nenhuma boa obra nós te lapidaremos, mas sim por blasfêmia, e porque, sendo tu um simples homem, te fazes passar por Deus.” (KJV). Quer ou não Muçulmanos irão aceitar isso, e muito menos concordar que isso é correto, pouco importa porque seu pressuposto não vai permitir que ele o aceite, não importa o que você diga. No entanto, o texto afirma claramente que os fariseus entenderam que Jesus estava afirmando ser Deus. Além disso, considere João 5:18, onde o apóstolo João diz, "Por isso, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não somente violava o sábado, mas também dizia que Deus era seu Pai, fazendo a si próprio igual a Deus," (KJV). Neste verso, Jesus curava no sábado, e os fariseus pensaram que Ele estava quebrando a lei do sábado. João, o apóstolo afirma ainda que quando Jesus afirmou que Deus era seu pai, que estava "fazendo-se igual a Deus." O muçulmano irá sempre encontrar uma maneira de argumentar fora desses textos. Ainda assim, dois fatos permanecem. Em primeiro lugar, Jesus afirmou ser Deus. Em segundo lugar, os fariseus negaram que Jesus era Deus e os muçulmanos concordam com eles.

Há outras áreas em que os muçulmanos dizem que Jesus e Paulo não concordam, mas quando eles usam deste argumento, sempre peça um exemplo. Toda vez que eu fiz isso, eu descobri que os Muçulmanos não tem uma compreensão suficiente do que o texto está dizendo. Lembre-se, sempre leia o contexto.

No. 3: Má interpretação da doutrina cristã

Infelizmente, este é um erro muito comum dos muçulmanos. O principal grande exemplo disso é na doutrina da Trindade. Muçulmanos comumente atacam com uma falsa compreensão a doutrina da Trindade, afirmando que são três deuses. Essa não é a definição cristã correta da doutrina da Trindade. O cristianismo não ensinou que existem três deuses. A doutrina ensina que existe somente um Deus que existe em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo. O Trinitarianismo é monoteísta. Se um muçulmano continua a proclamar que a Trindade são três deuses, então eu simplesmente paro de discutir o assunto com ele, porque ele não está disposto a aceitar o que a definição é, por isso não é possível ter um diálogo significativo.

Outra doutrina cristã que eles não conseguem entender é a união hipostática. Este é o ensino de que Jesus é uma pessoa com duas naturezas. Ele é ao mesmo tempo Deus e homem como é declarado em Colossenses 2: 9, "Porque nele [Jesus] habita toda a plenitude da divindade". Porque Jesus era também um homem, temos versos como João 14:28, onde Jesus diz: "o Pai é maior do que eu" Os muçulmanos dizem que, se Jesus é Deus, como Ele poderia ser maior do que a si mesmo? Claro, eles não conseguem entender a Trindade (três pessoas), e eles não conseguem entender que Jesus como um homem (Filipenses 2:5-8.) Cooperou com as limitações de ser um homem e estava em uma posição inferior ao Pai (Hb 2: 9.) por um tempo.

Às vezes, os muçulmanos se recusam a aceitar explicações cristãs para as coisas, porque elas não se encaixam a sua agenda, nem as suas ideias preconcebidas do que eles acham que o cristianismo é. Curiosamente, os cristãos contribuem frequentemente para este problema, oferecendo explicações insuficientes e, às vezes erram, ao explicar as doutrinas cristãs. Assim, muitos muçulmanos são induzidos ao erro quanto ao que o cristianismo realmente ensina. Os cristãos precisam conhecer a sua doutrina, e os muçulmanos precisam entender as explicações adequadas para essas doutrinas.

No. 4: Mal interpretam várias passagens

Um bom exemplo de deturpação de passagens bíblicas pode ser encontrado em um diálogo que tive com um muçulmano sobre João 1: 1, 14. Estes versos dizem: "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus . " O versículo 14 diz: "E o Verbo se fez carne e habitou entre nós..." O muçulmano que eu estava falando assim concluiu,:

Se a palavra é Deus, então podemos inserir a palavra "god" para o verso cada vez que diz "palavra". Portanto, teríamos de dizer assim: "No princípio era o Deus e Deus estava com Deus e Deus era Deus." Como você pode ver isso não faz sentido. “Portanto, quando você vai para o versículo 14, onde ele diz que o Verbo se fez carne, não pode dizer que Deus se fez carne porque João 1: 1 não faz sentido.”

Como você pode ver, esse tipo de lógica é muito ruim. Primeiro de tudo, João 1: 1 não diz o que ele disse que diz. a palavra não fala em termos contraditórios da maneira que ele tentou fazê-la soar. Em vez disso, ele usa tanto a "palavra" e a palavra "deus" na frase. Eu disse a ele que ele precisava trabalhar com o que o texto diz e não com o que ele não diz. Em outras palavras, ele reconstruiu-o de tal forma que propositadamente não faz sentido, e, em seguida, ele atacou o próprio texto.

Outro verso ou versos que eles interpretam mal é quando Jesus diz que Ele é o Filho de Deus. Para Muçulmanos, isso significa que Deus literalmente tinha uma esposa e produziu um filho literal. Claro, isso não é o que se deve entender pela a narrativa bíblica. Filiação é em relação à paternidade de Deus em um sentido espiritual e metafísica. Afinal, Jesus diz que Deus é espírito (João 4:24). É claro que Deus não tem um corpo de carne e ossos com os quais iria procriar filhos. O que os muçulmanos são culpados de fazer é impor entendimentos islâmicos em textos bíblicos e, em seguida, os interpretarem como eles os entendem,. Isto não é a maneira correta de refutar. Em vez disso, Muçulmanos devem procurar entender o contexto bíblico / cultural e lidar com a questão a partir dessa perspectiva, e não fabricar um como este exemplo mostra.

No. 5: Falham ao não diferenciarem entre doutrinas Católicas e Protestantes

Infelizmente, o Cristianismo não é uma unidade completa em todas as doutrinas é por isso que temos as denominações. Estou consternado com a fragmentação dentro do cristianismo e acho que é um mau testemunho para o mundo, mas o fato é que as diferenças de opiniões entre os cristãos ocorrem. Na verdade, estamos autorizados a ter diferenças de opinião de acordo com a Palavra de Deus encontrada em Rm. 14:1-13. Os verdadeiros cristãos estão todos unidos no essencial da fé e muitas vezes são divididos sobre os nãos essenciais. Isso não significa que não somos todos os cristãos, mas que temos diferenças de opiniões sobre algumas coisas.

No entanto, em 1500, houve uma grande divisão na Igreja Católica. Foi chamada a Reforma. Como um protestante, acredito que a reforma era necessária porque a Igreja Católica tinha adotado algumas doutrinas perigosas e errôneas que se estendem muito além de meras diferenças de opinião, ou seja, a oração a Maria, purgatório, indulgências, etc..

Muçulmanos muitas vezes não conseguem diferenciar entre catolicismo e protestantismo em seus argumentos. Eu tenho ouvido e lido que os muçulmanos atacam, por exemplo, o ensino católico da Eucaristia, onde o pão e o vinho da Ceia do Senhor são reivindicados pelos católicos de realmente tornar-se o corpo e o sangue de Cristo durante o culto de comunhão. Claro, nós protestantes discordamos fortemente. Assim, quando os muçulmanos dizem "cristãos acreditam...", Tome cuidado para que eles não façam muito uma ampla generalização, ao fazerem seus ataques.

No. 6 Alegam o que seu pensamento está correto e pensamento cristão está incorreto

Muitos muçulmanos disseram-me que o que estou dizendo sobre Deus, a salvação, a Bíblia, etc., não é lógico. Agora, talvez algumas coisas que eu diga não são lógicas, mas eu ainda não ouvi quaisquer argumentos convincentes demonstrando o que é e não é lógico em relação a doutrina cristã. Normalmente, o muçulmano vai simplesmente dizer que Jesus ter duas naturezas não é lógico ou que A Trindade sendo três pessoas não faz sentido. Mas dizer isso não significa que seja assim. Não há nada de ilógico sobre uma parte de Deus ser capaz de se tornar uma pessoa e adicionar a natureza humana a Si mesmo. Pode não ser a coisa mais fácil do mundo para entender, mas não é ilógico. Além disso, Simplesmente nos dizer que a Trindade de três pessoas é ilógico não faz dela ilógica. Certamente ninguém concordaria que quando nos deparamos com Deus e Sua auto revelação, não haverá coisas que são difíceis de entender. A Trindade certamente se enquadra nessa categoria, mas isso não faz a doutrina ser contra a lógica. Seria ilógico dizer que um Deus é três deuses, ou que uma pessoa é três pessoas. Mas isso não é o que o cristianismo ensina.

Descobri que ao dialogar com os muçulmanos e ao ler o seu material contra o cristianismo, que sua pretensão de saber a lógica real é realmente uma extensão do seu pensamento muçulmano e não um domínio da lógica.

No. 7: Quando desafiados mudam de Tópicos

Às vezes, quando se discute assuntos que os muçulmanos acham difícil de responder, eles rapidamente mudam de assunto. Muitas vezes, essa mudança envolve atacar a Bíblia. Outras vezes, eles vão testemunhar que eles têm certeza de que o Islã é verdadeiro, ou eles vão simplesmente dizer que você não sabe o que está falando. Quando eles mudarem de assunto, você precisa ser paciente. Carinhosamente traga os de volta para o assunto em mãos. Eu tinha que fazer isso muitas vezes ao discutir o Islã com muçulmanos.

Este é um pequeno, mas muito importante ponto. Muitos cristãos caíram na armadilha de deixar-se desviar do assunto em mãos. Não deixe que um muçulmano simplesmente ignore uma pergunta e comesse um novo assunto quando fica difícil. Da mesma forma, os cristãos não devem simplesmente mudar de assunto quando fica difícil para eles também. Em vez disso, se você não souber a resposta a uma pergunta, simplesmente admita isso. Faça alguma pesquisa e, em seguida, volte com eles.

Lembre-se sempre de ser gracioso. Você não vai ganhar o muçulmano para o Senhor com crueldade e grosseria. E lembre-se que estamos na batalha espiritual. Amor e verdade ao nome de Jesus são mais poderosos do que qualquer resposta perfeita.

Ao dialogar com os muçulmanos, por favor, lembre-se de ser respeitoso e paciente. Confira tudo o que dizem e os ouçam com atenção .Embora pensem ser os donos da verdade, eles não o são.

 

  • 1. Há uma exceção devido a um erro textual copista. Em 2 Chr. 36: 9, ele afirma que "Tinha Joaquim oito anos quando começou a reinar," e 2 Reis 24: "... Tinha Joaquim dezoito anos de idade quando se tornou rei" 8 afirma que este não é um erro nos manuscritos originais . Provavelmente, um dos pequenos traços horizontais utilizados em números de gravação durante o tempo de Crônicas escrito ou foi manchado ou desbotada (Gleason Archer, Enciclopédia de Dificuldades da Bíblia, Grand Rapids: Zondervan Publishing, 1982, p 215)..
  • 2.Veja o livro, Evidencias que exigem um veredito de Josh McDowell.
  • 3.Note: Em Exodus 3:14, Deus diz, " Então afirmou Deus a Moisés: “Eu Sou o que Sou. E deveis dizer aos filhos de Israel: Eu Sou me enviou a vós outros!”," (KJV)

 

 
 

About The Author

Matt Slick is the President and Founder of the Christian Apologetics and Research Ministry.