O Islamismo e a salvação pelas obras

Por Matt Slick – Tradução David Brito

De um modo geral, existem apenas dois métodos de salvação em todas as religiões do mundo: graça e obras. O cristianismo é uma religião de salvação somente pela graça: "Porque pela graça mediante a fé sois salvos, não pelas obras ..." (Ef. 2:8-9). Todos os outros sistemas dependem totalmente ou em parte, sobre as obras do crente para a merecer a salvação. Mórmons, por exemplo, dizem que você é salvo pela graça mediante a fé depois de tudo que você pode fazer. No catolicismo romano, a graça de Deus é infundida em um crente que lhe permite fazer boas obras pelas quais Ele é julgado para a salvação. No Islã, o perdão é baseado em uma combinação da graça de Deus e as obras muçulmanas. No Dia do Juízo, se as boas obras de um muçulmano superarem as más obras, e se Deus assim o quiser, ele pode ser perdoado de todos os seus pecados e, em seguida, entrar no Paraíso. Portanto, o Islã é uma religião de salvação pelas obras, porque combina obras do homem com a graça de Alá. Considere os seguintes versos do Alcorão.

  1. Sura 5:9, "Para aqueles que acreditam e fazem obras de justiça Deus prometeu perdão e uma grande recompensa."
  2. Sura 42:26, " E Ele ouve aqueles que creem e praticam o bem, e dá-lhes aumento de Sua graça: mas para os incrédulos há um terrível Punição."

3. Sura 8:29, "Ó fiéis, se temerdes a Deus, Ele vos concederá discernimento, apagará os vossos pecados e vos perdoará, porque é Agraciante por excelência.

É claro, os muçulmanos irão nos dizer que o Alcorão ensina que Deus é misericordioso com eles e que eles não ganham o seu perdão por obras. Eu reconheço isso. O Alcorão diz: "... Deus é o Senhor da graça ilimitada," (Sura 8:29), e também: "... Mas Deus vai escolher para a sua misericórdia especial a quem ele quer - porque Deus é senhor de abundante graça "(Sura 2: 105). Mas, como você pode ver pelas citações 1, 2 e 3 acima, o perdão de Deus está ligado às obras muçulmanas. Portanto, faço a pergunta, como é que é pela graça se também é pelas obras? Não é a graça o favor imerecido de Deus? Parece que o sistema islâmico de salvação é mais uma recompensa do que uma graça.

Para mais confirmações de que a graça de Deus dependente das ações de muçulmanos fiéis, aqui está mais citações do Alcorão:

1. Surata 33:70-71, "Ó fiéis, temei a Deus e falai apropriadamente. Ele emendará as vossas ações e vos absolverá dos vossos pecados; e quem obedecer a Deus e ao Seu Mensageiro terá logrado um magnifico benefício."

  1. Surata 49:14, "Os beduínos(1518) dizem: Cremos! Dize-lhes: Qual! Ainda não credes; deveis dizer: Tornamo-nos muçulmanos, pois que a fé ainda não penetrou vossos corações. Porém, se obedecerdes a Deus e ao Seu Mensageiro, em nada serão diminuídas as vossas obras, porque Deus é Indulgente, Misericordiosíssimo.”

Observe como o Alcorão ensina o perdão com base na graça de Deus e as obras do homem. Pode qualquer muçulmano ter a certeza da sua salvação diante do seu Deus? Muitos muçulmanos têm-me dito que eles não sabem se alcançarão o céu, porque eles não sabem se as suas boas ações superam as ruins. Ao contrário do Cristianismo, onde temos a certeza da salvação (João 6:47, 1 João 5:13), No Islã não há nenhuma garantia porque se baseia em parte na obediência e boas obras dos muçulmanos. Ao contrário do Cristianismo, onde a salvação é um dom gratuito imerecido de Deus (Rm. 4:3, Ef. 2: 8-9), o muçulmano pode na melhor das hipóteses esperar que ele tenha realizado boas obras suficientes para compensar as más e que Alá deseje perdoá-lo.

Outro requisito para os muçulmanos serem perdoados por Alá é a sinceridade quando se arrepender dos pecados.

Surata 66:8, " Ó fiéis, voltai, sinceramente arrependidos, a Deus; é possível que o vosso Senhor absolva as vossas faltas e vos introduza em jardins, abaixo dos quais correm os rios, no dia em que Deus não aviltará o Profeta e aqueles que com ele crerem. Uma luz fulgurará diante deles e, com a sua crença, dirão: Ó Senhor nosso, completa-nos a nossa luz e perdoa-nos, porque Tu és Onipotente!.”

Surata 4:17, " Alá aceita o arrependimento daqueles que fazem o mal, por ignorância e arrepender-se logo em seguida; para eles Alá irá transformar em misericórdia, porque Deus é cheio de conhecimento e sabedoria."

Não estou dizendo que não devemos ser sinceros quando nos arrependemos de nossos pecados. Mas, o problema com a sinceridade é que ela pode facilmente tornar-se uma forma de orgulho. Afinal, se uma pessoa diz que ele é realmente sincero o suficiente para ser perdoado de seus pecados, então ele não está apelando a algo dentro de si, um pecador finito, como parte da base de receber o perdão de um Deus santo e infinito? Não é isso algo que uma pessoa presunçosa e orgulhosa faria? Além disso, a questão da sinceridade é muito subjetiva. Como você sabe que você está sendo sincero o suficiente? Será que é porque o muçulmano simplesmente acredita que ele é? Parece-me que na melhor das hipóteses, o muçulmano só pode esperar que ele seja suficientemente sincero. Mas como pode ele realmente saber com certeza? Em vez disso, a Bíblia diz que o coração é perverso e enganador e não pode ser confiável (Jr. 17:9).

No cristianismo, apelamos completamente e totalmente na obra de Cristo na cruz (1 Pe. 2:24) e não em nós mesmos como base para o perdão, porque nenhuma coisa boa habita em nós (Rm. 7:18), ou seja , além de Cristo. Nós acreditamos sinceramente em Cristo, mas nunca afirmamos que o perdão é de alguma forma por mérito ou ganho por causa da nossa sinceridade ou nossas obras. Pelo contrário, o nosso perdão é baseado na fé e confiança em Deus no que Ele fez por nós em Cristo. Salvação no Cristianismo é centrada em Deus. No Islã, o perdão dos pecados é centrado no homem que é dependente de sinceridade do homem e as obras do homem, em conjunto com o perdão de Alá.

Tanto o cristianismo quanto o islamismo ensinam que devemos ter fé em Deus, mas no cristianismo esta fé em Deus é suficiente para nos salvar (Rm. 5: 1, Ef. 2: 8-9). No Islã, a fé em Deus não é suficiente. No Islã, as obras dos muçulmanos serão pesadas no Dia do Juízo Final, e então será decidido quem é salvo e quem não é. Com base se a pessoa era um muçulmano ou não, e se foram sinceros em arrependimentos e se apresentaram boas obras suficientes para compensar as más obras, então, existe a possibilidade de salvação.

Por favor, considere os seguintes versos do Alcorão sobre como as obras de um muçulmano são pesadas na balança no Dia do Juízo, para ver se ele poderá ser salvo ou não.

  1. Surata 23:102-103, " Quanto àqueles cujas ações pesarem mais serão os Bem-aventurados. Em troca, aqueles cujas ações forem leves serão desventurados e permanecerão eternamente no inferno."
  2. Surata 21:47, " E instalaremos as balanças da justiça para o Dia da Ressurreição. Nenhuma alma será defraudada no mínimo que seja; mesmo se for do peso de um grão de mostarda, tê-lo-emos em conta. Bastamos Nós por cômputo."
  3. Surata 18:105, " Estes são os que renegaram os versículos de seu Senhor e o comparecimento ate Ele; porém, suas obras tornaram-se sem efeito e não lhes reconheceremos mérito algum, no Dia da Ressurreição.."

É o sistema islâmico de salvação realmente o suficiente para salvar os muçulmanos? Eles vão dizer que é, mas como cristão, eu não consigo ver como alguém no Islã pode ter segurança e expectativa honesta de obtenção de Paraíso. Como pode alguém que deve ser completamente sincero em arrependimento e ser obrigado a realizar mais boas obras do que ruins ter a esperança de ir para o céu?

O problema com ser salvos pelas obras é que as obras humanas não são suficientes para agradar a Deus. Deus é infinito e santo. Como finitos pecadores poderíamos ter a esperança de agradar a Deus por nossos atos?

Os Muçulmanos Precisam do evangelho

Em vez de dependermos das nossas próprias obras, o Evangelho de Jesus nos ensina que não temos de fazer isso. O Evangelho de Jesus ensina que Ele morreu por nossos pecados e ressuscitou dos mortos (1 Cor. 15:1-4). Ele cumpriu toda a Lei, por isso, não precisamos das obras para ser salvos (Rm. 8: 3-4). Ele tomou o nosso lugar e recebeu o castigo devido por nossos pecados (2 Co. 5:21). Porque somos pecadores e não podemos agradar a um Deus infinitamente Santo e porque nós nunca poderíamos cumprir a Lei de Deus perfeitamente e porque os olhos de Deus são muito puros para olhar para o mal (Hb. 1:13), a salvação deve ser totalmente pela Graça (Ef. 2:8). A salvação deve ser o trabalho de Deus, não do homem (Gl 2:21).

1 João 5:13 diz, "Estas orientações vos escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o Nome do Filho de Deus" Pode um muçulmano dizer que ele tem a certeza da vida eterna? Não, não pode. Como cristão posso afirmar com certeza que sim, pois as obras não são minhas mas de Cristo. Então, por que os muçulmanos querem que eu desista da minha segurança e dom gratuito da salvação em Cristo Jesus para o sistema islâmico de obras que, na melhor das hipóteses, só oferece a possibilidade de salvação, isso se eu tiver sido bastante sincero e se eu tiver boas obras suficientes?

 

 

 

 
 

About The Author

Matt Slick is the President and Founder of the Christian Apologetics and Research Ministry.